quinta-feira, 6 de março de 2008

Hora marcada

Exupéry escreveu, eu assino embaixo: "se vens às quatro da tarde, desde as três começarei a ser feliz"; e acrescento, humildemente, no meu terno desejo de fazer-te ver o quanto me és caro: se vens às quatro da tarde, desde o instante primeiro em que eu soube disso ou que adivinhei, ou sequer suspeitei que viesses às quatro, ou às três, ou à meia noite, ou quem sabe às seis, fui mais do que feliz. Andei saltitante à tua espera. Corri pelos bosques e ri alto, criança solta entre brinquedos raros. E sonhei contigo. E cantei com o sonho que tive contigo. E dei-te minhas mãos e minha vida, no sonho que tive contigo. E sentamos juntos, debaixo da macieira, pra contar histórias vividas, engraçadas ou sofridas, pra lembrar passados e rir das lembranças tidas; no sonho que tive contigo. Até que venhas à hora marcada e ao invés de sonhar eu viva contigo... Aos 11 minutos do dia 06.03.2008

3 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

BONITO!!!MUITO BONITO!!!!

martha barbosa disse...

Simone querida, tuas poesias, são um bálsamo para minha alma. Sempre lindas, penetrantes. Não tens visitaado meu blog? tem postagem nova, espero que gostes.beijos martha

Poeta Mauro Rocha disse...

Hora marcada é legal, mas o improviso também cai muito bem.Surpresas nunca é demais.

MAURO ROCHA