segunda-feira, 21 de abril de 2008

Renovar

Terminei a faxina da casa (feriado, sabe como é...) e aproveitei pra fazer faxina na vida com o pó, foi a tristeza com o lixo, o cansaço com a sujeira, a desesperança. Agora, banho tomado, cheiro de limpeza no ar, sinto o peito renovado e estou pronta para amar. Ah, não dou mole não não vim pra ficar sozinha não estou aqui pra curtir solidão. Meu negócio é companhia. Se for boa, fique até que queira ficar. Se ruim, vá embora, que eu não quero me chatear. Quero paz, alegria, doçura e carinho. Sem isso, não sou ninguém. Mas recomeço sempre, se não tiver alguém. E agora não tenho. Estou à procura. De novo. E quantas vezes forem necessárias. Até que... Eu morra? 21.04.2008 - 15h30min

3 comentários:

Nath disse...

Dos dias assim, gosto mais é do banho quente. As gotas que vêm de cima se confundem com as lágrimas que vêm de dentro.
Uma mistura só.
E depois, invade-me uma calma reconfortante, apaziguadora.

Anônimo disse...

A renovação se faz quando acreditamos que ainda há algo a descobrir, a provar, a desgustar...
Sucesso, sempre!
orlando

Roberto Amezquita disse...

No es una linealidad la del SER vida y muerte estàn aconteciendo...