quarta-feira, 28 de maio de 2008

Canção de aniversário*

Cantar a pedra que te ofereço agora não pedra sabão nem pedra canção do tipo que a gente esquece no primeiro acorde ou do tipo com o qual a gente, de cara, concorde. Cantar a pedra da idade que te chega ou que de ti se esvai hoje feito poesia escorrida pelo telhado da vida da tua vida de insistente escritor. Cantar a pedra que, longe de ser doçura, é liberdade e provisão. Providência de verso escancarado que promove reflexão e escárnio. Escarram teus contos um quê de grito. Do teu grito? Do grito do pranto? Do grito do outro? Do grito de todos os que não têm coragem ou vontade de gritar? Cantar a pedra do começo permanente da busca permanente, do constante estudar. Cantar a pedra que te guia que eu não sei que nome tem, que tu não sabes também, mas que ambos conhecemos. Cantar a pedra dos teus anos. E desejar que sempre estejas bem. 28.05.2008 - 04h39min *Para Fabrício, meu amigo querido, no dia do seu aniversário

Um comentário:

Um Sonhador disse...

o tempo está escorrendo as coisas que
nos é pregado todos os dias, pela telha vejo todas ideias escorrendo caindo na terra seca e secando.



escárnio lembrei das cantigas de escárnio kkkkkkkkkkk :P


bjos querida \o quanto tempo que nao falo com vc em