quarta-feira, 7 de maio de 2008

Espectralismo

Engravido do desejo
de parir A canção.
Concebo a harmonia. Os primeiros acordes: sílfides nuas e livres, a dançar. Um Si Bemol escorrega entre meus dedos trêmulos de luar. Um Ré volta atrás, arrependido. Dou o tom da estrofe catártica. Arrepio a pele crua. As cifras, todas, de pé. Aplaudo. 07.05.2008-22h10min

Um comentário:

Um Sonhador disse...

nossa. muito bom mesmo em ;)

pq nao divulga mais esse blog???

té mais.. te espero no meu ;*