terça-feira, 2 de junho de 2009

Lembrança

Rasgo a alma o peito a gana no arame farpado dos anos que me viciam de vida. Chuto o balde quebro os elos alicio as sombras da palidez nas faces do espelho que arrebento. Observo os estilhaços da imagem que se forma de quebra-cabeças depois das fronhas depois das presilhas abertas das poses pedidas das fotos oferecidas do corpo exposto das veias expostas do sangue exposto do sonho escorrido. Depois... Prendo as audácias e reconheço o erro - o meu erro tenho a posse dele! - eu e minha vasta experiência. Apesar das cicatrizes erro... Um caco do espelho na capa do álbum coleção das minhas dores... 02.06.2009 - 23h40min

Um comentário:

O Profeta disse...

Mil caminhos
Esta viagem sem velas nem vento
Este barco na bolina das ondas
Esta chuva miúda transborda sentimento

Amarras prendem o gesto
Arrocham um coração que bate incerto
Uma gaivota retoca as penas com espuma
Levanta voo em rumo concreto

Partilha comigo “100 Anos de Ilusão”


Mágico beijo