sábado, 27 de novembro de 2010

Sexta-feira

Recupero meus humores
muito embora meus versos
estejam indefinidos
entre uma e outra ansiedade
que desfio, desde sexta,
quando meus risos ganharam razão.

Desde sexta, meu sexto sentido aguçado
anda alvoroçado
dançando metais de algodão
rareando os efeitos contrários
enfeitando os acordes, as guitarras,
os anéis, as correntes, os acordos,
as cordas que amarram as minhas vertentes
às tuas.

Não é só a tristeza que me impede a letra
essa satisfação que me atinge a'lma
me deixa muda, paralisa-me os dedos
enrijece-me o verbo.

Não escrevo.
De repente, minha poesia é um sorriso
e ele me basta.
Desde sexta...







27.11.2010 - 22h39min

Um comentário:

Fabricio Martines Alves disse...

Mas que sexta feira sublime heim... E não só a tristeza, mas a satisfação. Guria, você não perde a mão heim... EU QUERO UMA AGENDA SIMONE AVERRRRRRRRRR