quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Explícito

Pesco intenções
a isca depende do peso
do peixe que arrasto
no aquário mundano.




Um poeta ao piano
é uma nota suspensa
perdidamente ecoada
nos cheiros de livros
da biblioteca fechada
nas mãos uma tinta
e todos os versos do mundo
nadando imprevistos
improvisados sentidos
brinde entre amigos
parte-se a partitura
os mensageiros deliram
deliberam as moscas
e os acordes soam sujos
nem por isso menos ausentes
bêbados transeuntes
o chamado que não veio
a veia azul do príncipe
aventura e entretenimento
na saliva que escorre
da boca artista
na boca devassa
fios de vida ardente...






26.01.11 - 17h

Um comentário:

Ceiça Lima disse...

Simone, és maravilhosa na tua arte! Parabéns, beijo e boa noite ;)