domingo, 25 de maio de 2008

Ameaça

Vou te contar um segredo... em voz bem baixa, chega bem pertinho pra ouvir (mas depois vou ter que te matar, sabes disso, né?): Palavras têm vida própria. Saem quando bem entendem, voltam quando dá na telha, esbofeteiam, acariciam, invadem, alimentam, desnorteiam. Palavras têm asas e mania de ruminar. São boas, são más, pegam a gente de jeito e não soltam mais. Palavras são dispensáveis, às vezes, mas ninguém conta isso pra elas, então elas não aprendem, e vivem dizendo coisas que não deviam, escorrendo olhos abaixo, e, por vezes, vestindo nossas mãos, luvas que são... Ah... as palavras... *Agora que te contei o segredo, e que ouviste, podes fazer o último pedido, mas faz sem palavras, por favor... 25.05.2008 - 05h24min

2 comentários:

Filipe Garcia disse...

Oi Simone,

nada mais verdadeiro que esse seu poema. As palavras têm poder incrível de fazer e desfazer um bocado de coisa. Tem uma passagem bíblica que diz ser a língua o órgão mais difícil de se controlar. Tudo bem que existem as palavras escritas e aquelas implícitas, mas as faladas tendem a doer mais porque vêm acompanhadas do olhar.

Beijo.

P.S.: Qual dos seus blogs há textos/crônicas?

Martha Barbosa disse...

Querida amiga, que poesia em/
me pegou de coração abero e muito triste, e sua poesia tem o poder de penetrar fundo. amo sua poesia. beijos martha
Fiz postagem nova, apareça lá ,seu comentário é importante para mim. beijos amiga