quinta-feira, 8 de maio de 2008

Energia


E eu, que mal sei de mim,
dei de cara contigo e fiquei assim
meio bamba das pernas
meio transbordante de sins...
Meio, porque, se fosse inteira,
não seriam sins,
esses todos que escorrem de mim;
seriam flores e canções,
plantadas e compostas
entre as costelas de um anjo
que dançasse com outros
querubins...




08.05.2008 - 22h36min

3 comentários:

© efeneto disse...

Pressenti o naufrágio
que me deixou só neste deserto:
os seus olhos de mar já me haviam avisado.
Uma tempestade de palavras
silenciosas como convém
ou ardilosas como lhe convinha,
espalhou o caos no velame
e o barco desgovernou-se
e doeu-me no interior que sou.
****
Uma tempestade de palavras
Para lhe desejar um fim-de-semana
Cheio de sonhos concretizados.
Aproveite e leve uma recordação do
Ø G®¡†ö ðö Þöë†ä
Para colocar junto á nossa amizade.
Deixo um saco de beijos e abraços,
Façam o favor de escolher e de serem felizes.

Um Sonhador disse...

mas que belezura, muito bons. poucas palavras bem ditas em :)

a sim, eu estou tomando gosto pela escrita, to tentando escrever bem, mas sabe como é né, eu vou conseguir hehehehe.

estarei linkando seu blog. tu tem 3 blogs :S

vou linkar esse aqui ta????
bjs té mais

Filipe Garcia disse...

Eita! Tanta candura assim fez minha manhã sorrir mais bonito. A beleza da tua poesia entrou bem aqui dentro.

Beijo!