sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Impressões

Colho um verão úmido
entre as folhas trêmulas
de um passado qualquer.
Cheiros
são visões rei(n)ventadas
com direito a euforia
e jogos de artifício em cristais.
Os passos empastam a estrada
afundam as trilhas deveras
alimentam um sentido maior.
(Desencontro de mensagens
com hora marcada pra viver.)
Transcorrem salgadas as lutas
as grutas engaroadas
nos vales que me antecedem
que me dormitam
que me anunciam sem dúvida alguma:
você...
27.11.2008 - 17h53min

2 comentários:

Jacinta Dantas disse...

E por aqui, sempre um cheiro, uma visão que transborda nos seus lindos versos.
Abraço

Jorginho disse...

Oi, caríssima; ...colher o verão entre as folhas do passado... belíssimo texto. Abraços.