quarta-feira, 12 de maio de 2010

Romeu e Julieta

'Não sou piloto, mas, se estivesses tão longe quanto aquela enorme praia banhada pelo mais distante dos oceanos, ainda assim me arriscaria por mercadoria tão preciosa'.




Romeu e Julieta - W. Shakespeare


Aos 20 minutos do dia 12.05.2010
(O livro que Alina me deu, no dia das mães...rs)

3 comentários:

Luciano disse...

A eternidade, se tivesse um nome, poderia ser chamada de William Shakespeare. Entra ano, sai ano, e a obra desse gênio permanece. Porque? Pelo motivo mais simples do mundo: Shakespeare falou de amor, de suas dores, de suas dificuldades, de suas delícias. O amor tem um poder enorme, de vida e morte, sobre todos nós. Sua filha mostrou que tem bom gosto e provou sua inteligência, o que não é de surpreender, tendo a mãe que tem.

Saudações poéticas

Cello disse...

Amigo Luciano

Concordo com tudo o que você escreveu sobre o amor. Concordo que Shakespeare seja eterno. Só não concordo que o nome da eternidade seja o dele. Acho que a eternidade tem que ter nome de mulher. Simone, por exemplo. E de preferência não qualquer Simone, mas a Aver, única na sua beleza e intensidade.

Parabéns, minha amiga. Estive muito ocupado, você sabe, com outros problemas, e não pude mais comentar seus trabalhos. No entanto, sempre que possível, consegui dar uma espiadinha por aqui, só pra constatar que você está cada vez melhor.



Beijos, amiga.


Cello

Valdecy Alves disse...

Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

www.valdecyalves.blogspot.com