terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Defeito

Sem manha
coxeio entre as linhas
manco
tonteio
erro a mão
risco
começo de novo.

Poetar é mais que dizer
ou diferenciar
ou arrefecer.
Poetar é dar-se conta
dos defeitos que a letra tem
podar as vírgulas
regar as circunstâncias
não explicar, com prazer.
Poetar é dobrar neblinas
e encontrar solução
onde já não há.
É assim, num repente,
descobrir-se doente
de amor
essa doença bem lida
nos versos que cá entre a gente
vamos bordando
emprestando sabor.
Poetar é apaixonar-se
sem medo ou cuidado,
permitir-se a entrega
virar rima e balanço
na pétala de uma flor.

Sem manha
coxeio na folha
e reconheço meu defeito:
nasci poeta
por amor...






14.12.2010 - 20h34min

2 comentários:

Fabricio Martines Alves disse...

Claro que pode sair facil pro poeta, mas acho que é bem isso que descreveu guria, é reconhecer os defeitos, defeitos gramaticais acima de tudo, e como ficamos inquietos quando alguma coisa não bate bem no texto... Poetar é isso mesmo que disse, continue dizendo e reconhecendo, como disse, os erros do mundo "letral"

edvaldo.p.campos disse...

POEMAS

Todo e qualquer verso merece leitura
Como todo poema pede uma lágrima
Pois tudo é maravilhoso em literatura
E toda a renúncia poética é uma lástima.

Compreender ou ser compreendido
Não importa a quem se põe a escrever
Já que o seu pensamento se faz dito
E se fará gravado na retina do que ler.

Métrica, forma, correção gramatical
Perfaz simples formalidade metódica
Não sendo em absoluto nada essencial
Diante do alento da mensagem melódica.

Toda e qualquer forma de expressão
Nos é digno de aplauso com fervor
Inda mais quando se vem do coração
Inda mais quando se está a falar de amor.