terça-feira, 24 de maio de 2011

Mais do mesmo

Tateiam nas lisuras do mesmo
arrumam motivos
empilham razões
perpetuam o que já é
serpenteiam entre senões
escondem os dedos
dão o tapa
respondem nãos

e as mãos...

as mãos


enconcham medos...




24.05.2011 - 21h

Um comentário:

Fabricio Martines Alves disse...

Critico heim guria, seria este um repensar no modo de repensar as coisas e quem sabe chover no molhado do mundo. Pois é.