segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Orfandade

De vez em quando a gente fica assim meio órfã de norte. De vez em quando parece que o mundo gira para trás e nos deixa tontos, meio órfãos da sorte. De vez em quando o riso cala e cola na cara de outro cara. Na tua, fica a morte, meio órfã de aviso. De vez em quando a tarde se faz pranto e a gente fica assim meio órfã de encanto. De vez em quando passa um pássaro cantando e a gente fica assim meio órfã de quebranto..... 11.02.2008 - 02h32min

Um comentário:

orlando reis disse...

Essa impermanência é que nos faz renovar a espera, sem angústias pela perda, sem remorços pelo não dito, sem saudades do que não ficou...Tudo é um giro, um ciclo, um movimento, tudo sem fim aguarda nosso começo...