terça-feira, 8 de abril de 2008

Anestesia

Quando a saudade for tão grande a ponto de anestesiar-te o peito, observa... É serviço do tempo garantir-te vivo. Desnuda-te e perdoa. O que é teu, não esquece. Acorda e sonha, que o desejo, um dia, amanhece.... 08.04.2008 - 02h08min

Um comentário:

Nath disse...

na mais profunda solidão, são justamente essas certezas (de "o que é teu") que se esvaem.
e aí o chão se abre, e a dor é lancinante..