sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Convalescença

Devagar, um passo manco sucede outro
escora as coragens
espia os laços antigos
forçados de abalos e cinzas e
parcas sanções.
Devagar, a dança toma forma e cor e
conteúdo.
A íris se pinta de pontas de lança
e a pupila, saltimbanco,
decifra o enigma.
Melhoras.





27.08.2010 - 19h48min

2 comentários:

Fabricio Martines Alves disse...

Ei guria...falas de ti...parece que é sobre tua fase dificil do branco poético...mas eis que srge a pergunta: já gosta dos pássaros em sua arvore? guria...está de volta e não perdeu o pique heim...

Marcello disse...

Convalesça. Mas que seja on line. Hehe



Beijos




Cello